Blog

  • Julio Cesar França Franco

OS SETE PECADOS CAPITAIS DE UM LÍDER – O QUE PODEMOS MUDAR?


Edição 99 – Janeiro e Fevereiro/2022


Por: Michelle Borchardt - michelle.silveira@totvs.com.br e

– falecom@paulosilveira.com.br


Falar sobre a importância da habilidade de liderança de um profissional é chover no molhado, não há o que se discutir quanto ao valor que essa competência agrega para o indivíduo e para a equipe. Exemplos de lideranças temos os mais diversos, aqueles que nos surpreendem, outros decepcionam ou até desesperam. Alguns compreensíveis e outros incompreensíveis. Cada um com seus pontos fortes e fracos, experiências de sucesso e metas não alcançadas, mas com muitas práticas, técnicas e conhecimentos que podem ser compartilhados.

Diante de nossas experiências vividas, palestras, treinamentos presenciais, observações, estudos, consultorias de campo, mentorias a milhares de líderes e análises ao longo dos anos que atuamos pudemos também reunir uma boa bagagem de informações, que reunimos em uma espécie de cartilha da Liderança. Sete são os requisitos básicos para uma eficaz liderança. Contraposto a estas sete competências, cada uma delas possui uma relação direta com um dos sete pecados capitais. Um líder que não consegue desenvolver e aplicar uma competência básica estará cometendo um pecado capital na Liderança, um comportamento mortal que dificultará sua atuação como líder.

E quais são estes comportamentos mortais, seus sintomas e efeitos, assim como suas possíveis razões? Quais são as técnicas e/ou conhecimentos que o líder não está sabendo aplicar e que, consequentemente, devem ser aprimorados por ele? Conheça os comportamentos abaixo, se identifique, use e evolua diariamente.

1ª Competência Básica: a Democratização do Conhecimento

Pecado Capital relacionado: Luxúria

A luxúria, a vontade de ter tudo para si, evidencia um líder que não democratiza a maior riqueza de uma empresa e de seus colaboradores: o conhecimento.

· Comportamento típico - O líder detentor do poder da informação.

· Sintoma - O líder faz de tudo para deter o conhecimento e as informações da empresa e do mercado. É típico, por exemplo, no líder que recebe os informativos e não repassa para a equipe ou que faz assinaturas de conteúdos para o departamento, mas somente ele as lê. Que recebe a notificação de um treinamento, seja online ou presencial, e não divulga para que outros participem, guarda para si o convite e a participação. Normalmente este tipo de líder não apura e não tem capacidade e competência técnica preocupando-se somente em fazer que outros membros não tenham acesso ao conhecimento o que, na sua cabeça, colocaria em risco a sua posição.

· Efeito - A equipe nota rapidamente esse comportamento detentor do líder, o que faz com que ele perca rapidamente a confiança da equipe. Nos fracassos, a equipe tende a culpar o líder por não fornecer as informações e conhecimentos importantes e necessários.

· Possíveis razões do comportamento - Medo de perder o “poder” e o “controle” da situação. Medo de ver algum membro de sua equipe com capacidade e competência maior do que a sua e ser superado.

· Antídotos (técnicas a aprimorar) - Gestão do Conhecimento. Técnicas de trabalho em equipe, brainstorming, jogos corporativos de integração. Dica: implementação de uma reunião diária, chamada Daily. Ela tem como objetivo disseminar conhecimento sobre o que foi feito no dia anterior, identificar impedimentos e priorizar o trabalho a ser realizado no dia que se inicia. Com origem na metodologia ágil, as dailies normalmente são realizadas no mesmo lugar, na mesma hora do dia. Idealmente são realizados na parte da manhã, para ajudar a estabelecer as prioridades do novo dia de trabalho.




2ª Competência Básica: a Confiança

Pecado Capital relacionado: Gula.

Um dos maiores pecados é a gula pelo poder da decisão, evidenciando um líder centralizador, que não confia ou não quer confiar em sua equipe.

· Comportamento típico - O líder detentor do poder da decisão.

· Sintoma - Todas as decisões têm que partir do líder. Ele precisa estar ciente de todas as informações que saem do setor (precisa ter as cópias de todos os e-mails). Os documentos banais têm de ter sua assinatura ou visto.

· Efeitos - A equipe passa a não decidir e fazer questão de não decidir nada. Todos os trabalhos são incompletos, pois o líder ainda dará a opinião final. Então, é inútil concluí-los.

· Possíveis razões do comportamento - Insegurança e desprezo pela capacidade alheia.

· Antídotos (técnicas a aprimorar) - Liderança situacional, administração do tempo, coaching, delegação e trabalho em equipe. Dica: também na metodologia ágil você pode buscar por um modelo de trabalho denominado Sprint. O conceito vem da tradução do termo em inglês, que significa arrancada. Além disso, existe também uma corrida de velocidade na qual o atleta precisa percorrer uma curta distância em um pequeno período de tempo. Logo, na sprint, a equipe precisa terminar em um período pré-determinado e curto tudo o que foi planejado para aquele ciclo. Mas para que essa Sprint possa ser executada, o primeiro passo é uma reunião de planejamento (Sprint Planning), onde todos os integrantes do time participam, e o time avalia o que é possível entregar nesse período (Sprint) e como será realizado o trabalho para produzir essa entrega. Nesse modelo o líder deixa de centralizar as decisões e o time é quem avalia e decide.

3ª Competência Básica: a Comunicação.

Pecado Capital relacionado: Avareza.

Um líder “avaro” em relação a comunicação torna seu trabalho pouco orientativo, sem detalhes importantes, sem assertividade e sem ordenação lógica.

· Comportamento típico - O líder introvertido.

· Sintoma - O líder não consegue comunicar-se com a equipe. Tem dificuldades de se expressar e organizar a exposição das ideias. Em situações de conflito ele tende a se calar e perder o controle da situação.

· Efeitos - A equipe não compreende claramente as ideias e instruções, provocando deturpações e conflitos nas tarefas do dia-a-dia e entre os membros. A equipe tende a perder a confiança nas decisões e atitudes do líder.

· Possíveis razões do comportamento - Medo de se expressar em público. Falta de domínio em conflitos e medo do possível julgamento por pessoas que são mais relacionais que ele e possivelmente mais formadoras de opinião.

· Antídotos (técnicas a aprimorar) - Comunicação eficaz, domínio do falar em público, programas de apresentação de alto impacto na comunicação, programação neurolinguística (PNL). Dica: outra etapa na Sprint é a Revisão da Sprint (Sprint Review). Quando uma Sprint chega ao final, acontece esse momento da revisão, que envolve o esclarecimento sobre as entregas realizadas, o que não foi entregue, a reflexão sobre o que foi bem e os problemas que foram encontrados, e as sugestões do time para o que deve ser feito a seguir, levando em consideração as mudanças do mercado, a linha do tempo, o orçamento e as prioridades. Essa reunião pode ser uma ótima oportunidade para treinar a sua comunicação, começando com um público menor (o time), onde os conflitos tendem a ser menores e você tem um escopo de discussão já definido, que foram as entregas planejadas para aquela Sprint.

4ª Competência Básica: a Utilização de Metodologias

Pecado Capital relacionado: Preguiça.

A preguiça de planejar, de ordenar as ideias, de se preparar e pensar no futuro evidencia um líder que não utiliza metodologias no trabalho.

· Comportamento típico - O líder confuso.

· Sintoma - O líder muda constantemente as decisões e os planos para o departamento ou para a equipe. O líder não consegue precisar quais as missões, objetivos e metas do departamento e dos membros da equipe.

· Efeitos - A equipe passa a trabalhar “sem confiança” e em “marcha-lenta”, pois sabe que aquele pedido que o líder solicitou irá mudar em breve. A equipe não consegue relacionar os planos, objetivos e projetos do departamento com o planejamento estratégico e objetivos organizacionais.

· Possíveis razões do comportamento - Falta de conhecimento da metodologia de planejamento estratégico e administração de projetos. Má administração do tempo, pois as prioridades mal definidas provocam mudanças constantes nos planos. Pouca delegação para possíveis facilitadores, o que faria seu trabalho render mais e por consequência ser mais eficaz.

· Antídotos (técnicas a aprimorar) - Planejamento estratégico, administração de projetos, administração do tempo. Dica: adoção de uma metodologia ágil, ou de partes dela. Citamos já algumas etapas que compõem uma Sprint, e você pode iniciar por uma delas e incrementar o ciclo à medida que a equipe também amadurece nas etapas. Uma Sprint é normalmente composta de cinco passos: são cinco passos: Reunião de planejamento (Sprint Planning), Desenvolvimento, Reuniões diárias (Daily), Revisão da Sprint (Sprint Review) e Retrospectiva da Sprint (Sprint Retrospective).

5ª Competência Básica: o Reconhecimento

Pecado Capital relacionado: Cobiça

A cobiça (ou soberba) pelo seu destaque dentro da empresa faz com que o líder despreze as ideias e decisões da equipe não reconhecendo a capacidade desta.

· Comportamento típico - O líder repartidor de derrotas ou carinhosamente conhecido como anestesista. Ao invés de gerar entusiasmo à equipe, divide os seus erros e fracassos e mata a autoestima de todos, baixando a produtividade do time.

· Sintoma - O líder toma as decisões, muitas vezes sozinho, e na hora de reconhecer o fracasso diz que a decisão foi em equipe. No sucesso ele diz que a “sua” ideia foi muito boa. Típico de líderes que, no momento de decidir com a equipe, utilizam métodos como “Temos a opção X e a opção Y. Eu prefiro a X. Alguém tem alguma coisa que desabone a opção X?”. No momento de reconhecer a má escolha ele diz que a decisão foi em equipe, já que ninguém falou nada contra a opção X, mesmo que a equipe tenha recomendado a opção Y. Quer ter sempre o destaque nas boas ideias e nos grandes projetos.

· Efeitos - A equipe passa a não participar de decisões, sabendo que são “votos vencidos”. As chacotas tendem a crescer em relação a este comportamento e a liderança cai no ridículo. A equipe passa a ter uma postura defensiva, preocupando-se não com as decisões, mas em não absorver culpas.

· Possíveis razões do comportamento - Necessidade de autoafirmação. Não aceitação da competência alheia.

· Antídotos (técnicas a aprimorar) - Técnicas de negociação, coaching e trabalho em equipe. Dica: utilização da etapa da Retrospectiva da Sprint. É o momento final da Sprint e nesse encontro, não se avalia a entrega, mas sim o desempenho do time. A Sprint Retrospective é o momento em que cada integrante da equipe avalia a si próprio. A ideia é encontrar pontos de melhoria para serem aplicados na próxima sprint. Como você deve ter observado, a metodologia ágil sempre foca no time, no planejamento, decisões, entregas e feedback do time. Então esse é o momento em que o time avalia seu desempenho, diferente de um feedback unilateral.

6ª Competência Básica: o Trabalho em Equipe

Pecado Capital relacionado: Inveja.

A inveja é um dos maiores entraves na vida de um profissional. Um líder invejoso não consegue perceber o espírito de um trabalho em equipe que leva todos aos objetivos comuns.

· Comportamento típico - O líder plagiador de ideias.

· Sintoma - O líder escuta a ideia de um membro da equipe, faz de conta que não escutou ou a subestima. Depois surge com a “sua” grande ideia que nada mais é do que a ideia do outro maquiada. Em estágios mais graves este tipo de líder é capaz de, na “cara-de-pau”, escutar a ideia e lançá-la como sua apenas alguns minutos depois.

· Efeitos - A equipe fica indignada com atitude tão baixa e passa a não desenvolver mais ideias, prejudicando o seu lado criativo e inovador. Causa grande desmotivação ao membro da equipe quando ele vê a sua ideia com o nome de outro autor. Quando isto se torna público e constante, o líder tende a cair no ridículo perante toda a equipe.

· Possíveis razões do comportamento - Falta de criatividade e espírito inovador. Inveja. Medo de perder o “poder” das grandes ideias, consequentemente perdendo o destaque no departamento ou na empresa. Pode ser que tenha chego à liderança sem mérito (famoso QI – quem indica) e com o passar do tempo mata a equipe.

· Antídotos (técnicas a aprimorar) - Desenvolvimento da criatividade e poder de inovação, trabalho em equipe. Dica: quando você fomenta o trabalho em equipe e avalia os resultados da entrega do time e não de forma individual, o próprio time começa a entender que mesmo as pequenas contribuições são valiosas e geram valor. E no modelo da Sprint, onde a cada ciclo você revisa o que pode ser melhorado, todos têm espaço para contribuir, participar, opinar e o trabalho é conjunto.

7ª Competência Básica: o Equilíbrio Emocional

Pecado Capital relacionado: Ira.

A ira é o maior exemplo de sentimentos expostos pelos líderes sem equilíbrio emocional.

Comportamento típico - O líder apelativo. A síndrome de baixo-astral.

Sintoma - É aquele líder que apela para técnicas pouco usuais e pouco eficazes, como mexer com o lado emocional. É do tipo que, quando você vai reclamar sobre o seu aumento salarial, ele diz que você é um ingrato e que você não imagina como foi difícil convencer a diretoria a lhe dar o último aumento. Ou quando ele não concorda com algo que você fez, ameaça o seu emprego, às vezes com frases sutis como “O mercado de trabalho está difícil, não acha?” Ou ainda, quando você debate empolgado com ele sobre sua brilhante carreira, ele diz algo como “Você tem ainda muito que aprender...”.

Efeitos - A equipe tende a não discutir os problemas com o líder, pois sabe que ele irá utilizar algum artifício emocional para “escorregar” no assunto. Estes líderes aplicam o 171 (Código Penal), levam vantagem em tudo (Lei de Gerson), mentem para se beneficiar, prometem e não cumprem, ou seja, são desonestos e sem ética. A somatória destas atitudes burras que durante muito tempo fizeram parte do cotidiano das “equipes”, somente gerou desrespeito para com as verdadeiras equipes profissionais.

Possíveis razões do comportamento - Dificuldades para argumentar fatos. Falta de transparência. Medo de falar a verdade ou simplesmente gosto em levar vantagem em tudo.

Antídotos (técnicas a aprimorar) - Comunicação eficaz, técnicas de negociação, técnicas de comunicação (feedback), inteligência emocional. Dica: nenhuma metodologia será útil ou bem-sucedida se não contar com uma liderança que gere confiança no time. O time precisa saber que está no caminho certo, e que podem contar com o líder para conhecer os desafios e problemas que podem acontecer no caminho.

As metodologias ágeis têm sido também apontadas como um dos modelos de gestão que mais beneficiam o trabalho remoto, principalmente, por uma característica peculiar: o autogerenciamento. Com os colaboradores trabalhando de casa, é extremamente importante que eles possuam um alto senso de responsabilidade e sejam organizados.

Logo, contar com um escopo de trabalho bem definido a cada sprint e os encontros diários para revisão das demandas auxiliam na gestão dos profissionais que não atuam na sede da empresa. A tecnologia entra como uma importante aliada durante a sprint, pois as reuniões podem ser realizadas por vídeo conferências, sem impactar na qualidade final do trabalho, otimizando a gestão de equipes remotas. E claro, a realização dos processos em sprints oferece benefícios para a empresa e colaboradores, já que a criação de metas mais curtas facilita a administração das ações, evita o retrabalho, permite uma jornada mais saudável e realista e uma maior qualidade na entrega dos produtos e serviços.


Tenha um excelente dia e hoje e sempre;

Pois o mercado é do tamanho da sua competência, influência e reputação.

19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo